O ADR e a sua família europeia

print

Mesmo se o ADR é o único partido, no Luxemburgo, a comprometer-se em prol de uma Europa das Nações, ele compartilha as suas convicções políticas com as outras organizações ao nível europeu. O 8 de junho de 2010, um ano após as últimas eleições europeias, o ADR foi aceite à unanimidade como novo membro da Alliança europeia dos Conservadores e Reformistas (AECR). Trata-se de uma associação de partidos nacionais, reconhecida como tal pelo Parlamento europeu.

Para o ADR, esta adesão é sobretudo sinónima de uma maior capacidade de ação. Os partidos que são membros do AECR trabalham juntos a fim de promover a sua visão da União europeia junto dos cidadãos interessados. O ADR trabalha designadamente com organizações políticas seguintes:

– o Partido conservador britânico de Primeiro ministro David Cameron

– o partido polaco Direito e justiça do antigo Primeiro ministro Jarosław Kaczyński

– o Partido democrático cívico, do qual são procedentes três Primeiros ministros desde a fundação da República Checa

– o Partido de independência que, como o mais grande partido islandês, faz parte da coalição governamental

O ADR tem igualmente partidos irmãos na Bélgica, na Dinamarca, na Croácia, na Itália, na Letónia, na Lituânia e na Roménia.

Quando o AECR foi criado, os partidos consignaram os valores e os objetivos que revendicam ser os seus. A Declaração de Praga (o documento foi assinado na capital checa) contem em dez pontos as prioridades do AECR:

– a livre empresa, o comércio livre, equitativo e a concorrência, um regulamento mínimo, uma fiscalidade reduzida, governos de dimenções reduzidas como catalisadores da liberdade individual e a prosperidade pessoal e nacional

– a liberdade do indivíduo, mais responsabilidade pessoal e uma maior responsabilidade democrática

– um abastecimento em energia limpa e duradoura, pondo o acento sobre a segurança energética

– a importância da família como fundamento da sociedade

– a integridade soberana do Estado-nação, em oposição ao federalismo da UE e um respeito renovado para uma verdadeira subsidiariedade

– o valor primordial da relação transatlântica em matéria de segurança numa OTAN revitalizada, e um apoio às jovens democracias através da Europa

– uma imigração controlada de maneira efetiva e o fim dos abusos em matéria de procedimentos de asilo

– serviços públicos modernos, eficazes e uma certa sensibilidade às necessidades das coletividades rurais e urbanas

– O fim de qualquer burocracia supérflua, excessiva, mais transparência, integridade nas instituições e na utilização dos fundos da UE

– o respeito e um tratamento equitativo dos Estados-Membros da UE, que sejam antigos, novos, grandes ou pequenos

O ADR de resto está bem representado nos Comités do AECR. O deputado Fernand Kartheiser é membro do Conselho, o deputado Roy Reding é tesoureiro desta associação.